A imagem ao lado já deve ter feito muita gente pensar no porque do aviso. A resposta curta é simples: fazer a localização de forma mais rápida.

Um aparelho de GPS padrão utiliza os sinais enviados pelos satélites orbitando a Terra para calcular o seu posicionamento. Mas ele não é rápido, pois os satélites não estão sempre no mesmo ponto, sendo necessário “buscá-los” primeiro. Internamente o aparelho guarda a última posição conhecida e os satélites que estava usando, por isso que depois de feita a localização, uma segunda tentativa logo depois dessa primeira e no mesmo local é bem mais rápida. Mas essa mesma localização, horas depois, pode demorar pois podem não ser mais os mesmos satélites que estão naquele local.

É aí que entra o A-GPS! Ele aproveita as antenas de telefonia para fazer uma localização prévia do aparelho utilizando um banco de dados remoto….por isso que o A-GPS só funciona com uma conexão ativa com a internet. Ele pega os códigos das antenas que estão próximas ao aparelho e o nível de seu sinal (para saber qual está mais próxima e qual está mais longe). Através de triangulação é possível saber aproximadamente onde se está. Para ter uma ideia veja a imagem abaixo:

As antenas são os pinos, e os círculos o nível de sinal (verde forte, azul médio e vermelho fraco). Imaginando que estou no ponto X, estou ao alcance de 3 torres, e as 3 com sinal vermelho. Mas como eu tenho o sinal das 3, eu sei que estou no ponto onde elas se cruzam, que no caso desse mapa de exemplo, é um ponto bem pequeno e só o A-GPS já me daria um posição relativamente boa. Agora imagine que estou no Y. Pela intersecção do sinal das antenas eu poderia estar em qualquer lugar da área amarela! Nesse caso, a localização é bem menos precisa (note que essa área envolve 3 quarteirões, e o sinal de apenas 2 torres). Por isso que mesmo aparelhos que não contam com GPS podem ter um sistema de localização rudimentar.

Para ajudar a fazer uma localização mais precisa ainda é que entra o wi-fi!! Quando os carros da Google partiram pras ruas para fazer as capturas de imagens para o Street View, também passaram a capturar dados de todas as redes wireless que encontravam! Principalmente nome, MAC address (é um código numérico que em tese identificaria unicamente cada equipamento) e nível do sinal. O que gerou em muitos lugares uma imensa discussão sobre invasão de privacidade. Como a esmagadora maioria dos roteadores wi-fi possui um sinal de curto alcance (cerca de 100 metros em condições ideais), é possível saber onde o usuário está com certa precisão caso existam vários roteadores! Basta verificar o sinal de cada um deles e fazer o processo análogo ao do A-GPS.

Dessa forma juntando o A-GPS com o wi-fi é possível obter uma localização inicial muito mais precisa, até que os satélites do sistema de GPS sejam encontrados. E essa informação, mesmo que imprecisa, também ajuda a localizar os satélites mais rapidamente, pois assim o aparelho sabe exatamente quais satélites estão em sua região e busca apenas por eles (consultando um banco de dados remoto).

E aqui entra mais um detalhe de como essa coleta de informações é feita. Não é apenas através dos carros do Street View, mas os próprios usuários colaboram com isso! Ao habilitar o GPS no seu aparelho pela primeira vez é apresentada esta janela:

O que ela significa? Significa que os dados das torres de telefonia e das redes wi-fi (e sabe-se lá mais o que possam inventar) estão sendo coletados e enviados aos servidores da Google, para melhorar ainda mais os serviços de localização.