Há algum tempo atrás a bambambam no mundo Android era a Motorola. E ela sofreu diversos ataques ao se recusar a atualizar alguns de seus aparelhos para as novas versões do sistema (na época era do Froyo pro Gingerbread).

Hoje em dia a empresa líder é a Samsung, e está sofrendo dos mesmos ataques ao declarar que não atualizaria alguns aparelhos (tipicamente o Galaxy S e alguns tablets), depois voltar atrás e dizer que faria a atualização, e agora declarar que não, não haverá sanduíche de sorvete para eles.

A origem do problema é até que relativamente simples de explicar, mas difícil de engolir.

A primeira coisa que alguém dirá é “mas a Apple atualiza seus aparelhos antigos quando lança uma nova versão do iOS”. Aqui reside a principal diferença do mundo iOS pro mundo Android. No iOS temos um único fabricante de hardware que também é o responsável pelo software e também é responsável pela única loja de aplicativos existente (considero assim pois para usar outras lojas é preciso usar subterfúgios que invalidam a garantia do aparelho).

Então faz todo o sentido que a Apple atualize seus aparelhos, principalmente porque o seu maior ganha pão não está na venda deles, mas sim na de aplicativos na loja, música, e também em acordos com várias operadoras pelo mundo, onde ela recebe um percentual daquilo que o usuário gasta ao falar pelo telefone ou enviar um SMS.

Portanto quanto mais aparelhos houver por aí, mais dinheiro ela ganha.

No mundo Android temos apenas um desenvolvedor do sistema (Google), mas diversos fabricantes! E cada fabricante pode alterar o sistema como quiser.

Só que para atualizá-lo o fabricante precisaria pegar a nova versão, testá-la exaustivamente, fazer novamente as alterações nele, e talvez até gastar mais tempo de desenvolvimento para deixá-lo rodando bem num aparelho que, se bobear, já estará fora de linha!

O que o fabricante ganha com isso? Simpatia do cliente. Só que o interesse do fabricante é vender!

A desculpa de que o aparelho não roda o sistema novo por insuficiência de recursos não convence mais ninguém. No caso específico do Galaxy S, por exemplo, temos o Nexus S com praticamente o mesmo hardware, que já está com o ICS oficial e rodando muito bem, obrigado.

Alguém também poderia dizer “mas o pessoal do CyanogenMod faz esse desenvolvimento de graça”. Porém há algumas preocupações que eles não precisam ter, ao contrário do fabricante. Se o GPS não funcionar direito eles apenas dizem “não conseguimos fazer o GPS funcionar direito”. Se um fabricante disser isso é heresia. Eles podem lançar uma versão beta instável que não há problemas. O fabricante precisa lançar uma versão final que rode perfeitamente.

E o principal: esse desenvolvimento não é a fonte de renda deles! Por isso pode ser de graça e, caso não funcione, nada de mais acontece.

Eu entendo o posicionamento dos fabricantes. Mas entender não é concordar.